sábado, 18 de abril de 2009

Video-Post

video

Pois é, ta aqui o video prometido.Tudo bem que a gente só rir o tempo inteiro, tudo bem que na minha casa não tem pente e eu nem vergonha na cara tenho de fazer um video com o cabelo daquele jeito :) , tudo bem que o pé machucado da mah é protagonista no video,tudo bem que aparece a voz de um espirito no video,tudo bem que o cachorro é um infortuneo,tudo bem que eu sou autista em excesso...

Com toda certeza gostariamos de ter feito algo mais sério,contando a história do blog,agradecendo pelos comentários etc,mas quem se importa com isso né? :)

ta ai partes da nossa história,e avisando que precisa ter paciência pra ver o video,ficou grandinho,achamos!

sábado, 11 de abril de 2009

#Um ano de letras !
Não sabemos ao certo,mas nosso primeiro post segundo consta, foi em ABRIL de 2008,estamos comemorando então,durante este mês,1 ano de blog.
Por onde começar...pela primeira vez escrevo sem nenhum propósito,sem nenhuma ideia,só com um sentimento de REALIZAÇÃO.Carrego este sentimento dado por todos vocês,que comentam aqui,que criticam e que elogiam,que oferecerem selos,que linkam o nosso blog,que divulgam,que são membros da comunidade.Vejo que por toda essa ‘dedicação’conosco colhemos frutos favoráveis,saímos na revista atrevida,ficamos conhecidas por pessoas do nosso estado que valorizam a escrita e a leitura,os nossos números de comentários aumentaram,assim como outras conquistas!
Planejamos e gostaríamos de poder fazer algo muito mais especial que um simples post pra comemorar nosso aniversário de 1 ano,porém foi tudo muito atrapalhado.Então fica aqui uma promessa,assim que mah tirar o gesso da perna faremos um vídeo-post de conteúdo ainda não escolhido,mas que tenha a ver com nosso primeiro ano de vida.
Bom,postarei aqui itens que foram essenciais pra manter a união dos blogueiros e que fez com que completemos um ano \o/

·Separar temas que tenha mais a ver com você e se aprofundar nisso.
·Tomar conhecimento se já teve um post que rendeu a semana ou o dia,para não postar duas vezes no mesmo dia.
·Fazer projetos em conjunto,como textos que tenha participação da equipe.
·Ler e comentar outros blogs, valorizando o post dos outros colegas blogueiros,consequentemente valorizarão os seus;
·Estar por dentro das coisas que acontecem para que virem temas em seu blog,o que fará dele no mínimo interessante.
·Viajar nas palavras,criando textos envolventes.

Pro Nando,por exemplo,os temas que mais tinham a ver com ele e que ele usou como arma pra fazer posts,foram:
·Coisas que eu vivi nesse ano.
·As pessoas que conheci.
·Como eu me conheci conversando com essas pessoas.
·Músicas que eu escutei.
·Livros que eu li.
·A garota por quem me apaixonei.
·As 4 pessoas que mais me ajudaram esse ano: Maisa,Nadia,Liz e meu primo.
·A timidez que eu diminui drasticamente.
·A confiança que eu adquiri.
·As coisas que eu quis exorcizar em alguns momentos.

E pra encerrar,como Targino disse,o blog serve como uma otima valvula de escape!

Ps: os comentários dos posts anteriores da Mah serão respondidos assim que o computador dela ficar bom :)



Náh (participação de targino) - Maisa ficou fora,cifudeu (h)
parei :x

quinta-feira, 2 de abril de 2009

O homem da estação-parte final


Lá estava eu no parque em mais um dia de outono, atrás de um homem. Não o mesmo homem, não o encantador ser com um violão mágico, mas sim o meu pequeno descobridor de si mesmo. Passei a noite toda pensando nele, fazendo perguntas imaginarias a ele. Passei a noite toda com o pensamento nele. Eu precisava ir ali, eu tinha que fazer isso.Cheguei e para a minha maior surpresa ele não estava lá. Ele não era uma menina boba como eu, que ficava atrás de um violão durante anos. Senti-me insignificante no começo, mas depois fiquei alegre por ele não repetir os mesmos passos tristes que eu dei.
Fui caminhando em direção a minha casa, quando senti alguém ao meu lado. Era ele. Todos os sentidos ficaram em alerta e eu não sabia o que falar. De novo ele foi mais esperto e rápido que eu e disse:
Eu te acompanho a mais tempo do que você imagina. Durante todos esses outonos eu vi você caminhar por esse parque atrás do musico encantador, com toda a sua tristeza, aumentando toda a minha dor. Todo dia eu queria estar ali, te proteger e falar palavras encorajadoras pra você,mas me contive,acho que você precisava desse tempo,desse seu momento.Depois de cinco anos de espera,esse ano você apareceu diferente,pode nem ter notado,mas estava.Ao pisar nesse parque você não olhou para os lados atrás dele,simplesmente foi a macieira e tocou,para a sua felicidade e não para a busca dele.Esse era o momento pelo qual eu estava sempre procurando.Eu fui lá e apareci,do jeito como você viu.Tinha meus medos,meus desejos,mil palavras a serem pronunciadas e poucas que realmente foram ditas.Eu não sabia que era tão forte esse sentimento,aquelas emoções.Quando vi eu estava ali,deitado sobre a grama pensando sobre toda a minha vida e sobre você.Todas aquelas imagens de cinco anos passavam como flashes na minha cabeça,e ao mesmo tempo que eu queria falar pra você eu não conseguia nem me mexer.A única forma que eu encontrei pra mostrar o quanto aquilo era bom foi mexendo as pontas dos meus dedos.Quando você se foi eu percebi que tudo tinha mudado e que eu não poderia simplesmente te esquecer.Ao ver você correndo para longe de mim ,primeiramente eu fiquei triste,achando que nunca mais você apareceria por aqui,mas depois fiquei contente por pensar que o seu martírio tinha acabado,que não estaria mais presa neste parque.Hoje vim aqui de novo e quando a vi,tudo disparou.Você me procurava,eu sentia,e aquilo me encheu de alegria.Não tinha como ficar parado,não tinha como não fazer nada,e aqui estou eu explicando tudo,mesmo que no fim você não entenda.
Escutei tudo calada, e confesso que não entendi a historia toda pela primeira vez. Não sabia seu nome, sua idade ou endereço, mas o abracei como quem abraça um amigo que há tempos não vê, como uma planta carnívora querendo sugar seus nutrientes, como um urso apaixonado segurando seu pote de mel. O abraço foi retribuído e por um longo tempo ficamos ali, juntos, escutando somente o som dos nossos corações.
Fomos para longe daquele parque, viver nossas vidas unidas com o nosso violão, mas todo outono voltamos para comemorar nossos aniversários de namoro em baixo daquela macieira. Nunca mais vimos o homem do violão mágico, mas se um dia ele aparecer, será sempre bem-vindo na nossa família.


Mah