quinta-feira, 11 de junho de 2009

Nós podemos tudo..ou não.


Ela dedicou praticamente um ano da sua vida àquele romance, que pra ela era um romance, mas pra ele era somente um passatempo. Ouviu, deu conselhos, atenção nas horas de carência e companhia nas horas de diversão. Ele aproveitou bastante e no momento exato disse:

-Obrigado por tudo. Você realmente me ajudou nesse período, mas agora que estou recuperado vou aproveitar a vida, conhecer gente nova e ser feliz por completo.

Como ela ficou?Queridos, houve um terremoto dentro daquela mulher. Um ano, foi praticamente um ano dedicado a ser psicóloga, psiquiatra, amiga, enfermeira e várias outras múltiplas facetas pra que no fim ela concluísse o seu projeto e ao invés de ficar com o prêmio simplesmente o vê saindo em busca de outra pessoa.

Você, leitor (a), pode agora estar sentindo pena dela, mas eu digo: ela quem escolheu esse caminho. Ao começar um relacionamento ignoramos os defeitos do nosso parceiro, mas no fundo sabemos deles sim, somente enchemos nossa cabeça de esperança, achando que somos dotados de poder e que podemos mudar toda a personalidade de alguém em um curto período de tempo.

Burros, é isso que nós somos, e não me venha com eufemismos, dizendo que é burro de amor, ou que é somente persistente, que quem espera sempre alcança. Somos burros e persistimos na nossa burrice de pensar que podemos mudar todo mundo, esquecendo que quem tem que realmente mudar somos nós mesmos.

Essa mulher, queridos, vai passar o Dia dos Namorados sozinha, e não por culpa do cafajeste que a deixou, mas sim por ter insistido em curar um homem e não olhar pros que estavam ali, ao seu lado, compatíveis ao seu jeito de ser.

Os opostos se distraem e os dispostos se atraem, já cantava Fernando Anitelli, no meu querido Teatro Mágico. Nossa querida personagem não nasceu pra morrer sozinha ou passar essa data romântica desacompanhada, simplesmente está arcando com as consequências dos seus erros cometidos, da sua falta de visão periférica.

Não cometa o mesmo erro da nossa personagem, se está num projeto desses, é melhor abandonar o navio antes do grande naufrágio, e se está sozinho lembre-se : olhe para os lados.


Mah

8 comentários:

naath fabrini disse...

é verdade.. ninguém muda ninguém.. temos que mudar por nós mesmos..

beijos.

fufus disse...

Concordo plenamente... mah o club das fufus acabou..barra né? cada uma agora tem seu blog...então esse é o último comentário do club das fufus no seu blog..mas eu vou sempre comentar. www.coisademah.blogspot.com meunovo blog..beijos fofa.

maria clara

Gabriela disse...

O triste não é ficar sozinha, passar o dia 12 sem ninguém. O triste é saber que ele não volta mais, é saber que ele não se importou com teu amor.
ótimo blog, gamei :)

Bjos
http://intimouniverso.blogspot.com

Minnie_ disse...

... Adorei!!! =DD

Disse tudo, tudo!


Um beeijo!!

- Mαyrα disse...

Quando estamos sentindo aquele sentimento que se intitula "paixão" ficamos cegos, e acabamos nos tornando burros a ponto de achar que via ser pra sempre, e no fim das contas somos sempres os primeiros a se afogar so que nossa hora olhar para os lados pode nao ser tarde demais. Sempre (pode demorar) vai haver um barquinho simples ou não, que nos salvará basta nos mantermos vivos até então.
Bonito texto!

Cammy S. disse...

ameii o texto!
é verdade nós tentamos escoder o erro dos outros por amor,mesmo sabendo que eles não nos pertencem e no final quando perdemos nos sentimos fracassados ,mas n é assim, n dá pra fazer ninguém ficar pra sempre,o melhor é fazer cm ele que aproveitou o momento,mas quando deixou de ser produtivo pra ele,foi simples!

Jalila Eos disse...

O problema é que muita gente não sabe onde está pisando. =/
E não é todo mundo que tem visão de águia neh?
Pelo menos ela tentou rs.
bjos bjos

Mary West disse...

Pena que são poucos que sabem tomar iniciativas. Tanto internas quanto externas.